Migração para a nuvem: como a sua empresa pode dar esse passo?

A obrigatoriedade de fazer a instalação de sistemas e o armazenamento local de dados pode dificultar e até mesmo impossibilitar a rotina de muitas empresas.

Diante disso, muitos negócios estão adotando a computação em nuvem para simplificar os processos e permitir que os usuários acessem as informações em qualquer lugar do mundo pela internet. E o melhor: com segurança e a possibilidade de economizar recursos.

A expectativa, segundo estudos da Gartner, é que 70% das empresas possuam algum plano concreto de cloud computing até 2022. Se você não quer ficar de fora dessa estratégia, continue a leitura deste artigo para entender como fazer uma migração para a nuvem.

Qual é a importância da computação em nuvem?

Antes de explicar a importância da computação em nuvem, é necessário falar sobre o seu conceito e os tipos existentes. O cloud computing é uma tecnologia oferecida por empresas especializadas, como a AWS e a Azure, que permite o armazenamento e o processamento de dados sem a necessidade de servidores locais.

Dessa forma, por meio de data centers espalhados pelo mundo todo, é possível acessar, compartilhar e editar informações por meio de dispositivos conectados à internet.

Dependendo das necessidades do negócio, é possível escolher entre três tipos de nuvem: a pública, a híbrida e a privada. Além disso, a computação em nuvem é categorizada por modelos. Eles influenciam os recursos que serão oferecidos e a infraestrutura que será necessária para a implementação. Confira os principais modelos de nuvem:

  • IaaS (Infraestrutura como um Serviço): recursos básicos e maior flexibilidade, boa opção para empresas que estão em pleno crescimento;
  • SaaS (Software como um Serviço): ideal para empresas que querem comercializar produtos e serviços no formato de assinatura pela internet;
  • PaaS (Plataforma como um Serviço): oferece ambiente exclusivo para o desenvolvimento de projetos virtuais.

Agora, conheça algumas situações em que a computação em nuvem é de extrema relevância:

  • os funcionários que estão trabalhando remotamente precisam acessar dados do negócio com agilidade e segurança;
  • a empresa precisa de ambientes seguros para desenvolver e testar aplicativos com mais eficiência;
  • o negócio quer potencializar a sua capacidade de armazenamento, backup e recuperação de dados;
  • a empresa quer unificar a gestão de dados estratégicos para facilitar a análise das informações.

Por que migrar para a nuvem?

A computação em nuvem é mais do que uma tendência, ela já faz parte das nossas vidas, e a expectativa é que isso se intensifique nos próximos anos. Afinal, estamos falando de uma solução inovadora e compatível com empresas de todos os tamanhos.

Mas, se você chegou até aqui e ainda está com dúvidas se a sua empresa deve fazer a migração para a nuvem, veja alguns dos principais benefícios que a tecnologia pode trazer.

Redução de custos

Além de não ter que arcar com os custos de manter um servidor local, as empresas que investem em nuvem precisam pagar apenas pelos serviços que usam. Dessa forma, é possível planejar a contratação de acordo com as necessidades e economizar a longo prazo.

De acordo com o estudo IDC Latin America IT Investment Trends, a redução de custos é o segundo principal objetivo de 50% das empresas que vão investir em cloud computing em 2022, perdendo lugar apenas para produtividade (68%).

Melhora da produtividade

As empresas trabalham com um gigantesco número de informações hoje em dia, e é um grande desafio organizar tudo de maneira segura e eficiente, além de garantir que todos os interessados tenham acesso aos dados quando e onde quiserem, algo impossível com armazenamento local.

A nuvem centraliza o armazenamento e o processamento de dados, permitindo que os times tenham uma visão integrada do negócio. Isso influencia a qualidade do atendimento aos clientes, a comunicação interna e a tomada de decisões.

Além disso, o melhor aproveitamento da tecnologia faz com que os funcionários percam menos tempo em tarefas repetitivas e dediquem seus esforços a atividades mais estratégicas.

Aumento da segurança

As informações são bens extremamente valiosos para qualquer negócio e precisam ser muito bem protegidas. Isso sem falar na necessidade de evitar as sanções pelo descumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

Sendo assim, é importante evitar que os colaboradores guardem dados críticos em pendrives, HDs externos e outros dispositivos que podem ser roubados, danificados ou perdidos. Com a computação em nuvem, é muito mais simples recuperar dados e organizar processos de backup.

Como é o processo de migração para a nuvem?

A migração para a nuvem precisa ser realizada de maneira estratégica para garantir que dados não sejam perdidos ou violados pelo caminho. O roteiro varia de acordo com as especificidades e os objetivos do negócio, mas separamos alguns passos básicos que vão ajudar no processo.

Faça um planejamento

O primeiro passo é fazer um planejamento e entender exatamente quais dados vão ser migrados para a nuvem. Apesar de todas as vantagens que citamos, dependendo do nicho do negócio e das operações, é possível que algumas rotinas não possam ser migradas para a nuvem. Veja algumas perguntas que podem nortear essa etapa:

  • que tipos de dados vão ser migrados?
  • Qual é o nível de criticidade das informações?
  • Quais dados precisam ser priorizados?
  • Quais vão ser os principais desafios do processo?

Crie um cronograma

Depois do planejamento, é necessário fazer um mapeamento de tudo o que precisa ser feito, dos colaboradores responsáveis e do prazo de execução. A organização do cronograma é indispensável para acompanhar a evolução do projeto, evitar retrabalhos e mensurar o que está sendo realizado.

Escolha o tipo e o modelo de nuvem

Com base nas necessidades e nas características observadas no planejamento de migração, será possível identificar qual tipo e modelo de nuvem são mais adequados para o negócio.

Durante a pesquisa, também será necessário buscar qual será o seu provedor de nuvem. Nesse momento, considere além dos recursos e do custo-benefício e não se esqueça de avaliar a facilidade de implementação.

Contrate uma empresa especializada

Como você já deve ter notado, a migração para a nuvem exige várias escolhas técnicas para ser realizada com sucesso. Por isso, contratar uma empresa especializada para guiar todo o processo é uma excelente opção.

Em conjunto com os colaboradores, os especialistas vão identificar quais cargas de trabalho precisam ser migradas, definir um plano sólido para fazer isso da melhor maneira possível, fazer testes de segurança e funcionamento, entre outras atividades.

Quais são as vantagens e os desafios da migração para a nuvem?

É impossível ignorar os benefícios de trocar a arquitetura local para a nuvem. Não é por acaso que, segundo levantamentos da Gartner, 85% das empresas do mundo vão operar com cloud computing até 2025.

Se realizada adequadamente, a migração pode proporcionar redução de custos, aumento da produtividade, melhora na satisfação de funcionários e clientes, além de ser um excelente diferencial competitivo.

Entretanto, se a migração não for bem executada, o negócio pode perder dados fundamentais para a sua estratégia e ter sérios prejuízos.
Outro desafio relacionado ao uso da nuvem está relacionado à internet. Como o funcionamento da tecnologia é remoto, em caso de queda ou de problemas de conexão, é possível que os colaboradores tenham dificuldades.

Que tal continuar aprofundando os seus conhecimentos sobre o assunto? Temos vários conteúdos sobre computação em nuvem no nosso blog.

Achou esse artigo útil? Então compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Cadastre-se gratuitamente para receber nosso conteúdo