PaaS e SaaS: como esses modelos ajudam a tornar negócios escaláveis

As tecnologias disruptivas da transformação digital vêm revolucionando processos em organizações do mundo todo. Isso inclui novos conceitos de negócio, como o que visa ao consumo de serviços pelas empresas em substituição à compra de infraestrutura e aplicações de TI.

Dois exemplos são os modelos de SaaS (Software as a Service) e PaaS (Platform as a Service), os quais surgiram a partir da computação em nuvem e trouxeram a possibilidade de escalar as operações com menores custos.

Segundo a pesquisa Brazil SaaS Landscape Research, feita pela Capgemini, o SaaS é utilizado por 92% das companhias no Brasil. De acordo com os entrevistados, ao menos uma solução baseada no modelo já foi adotada.

Além dos formatos citados, o mercado oferece outros para indivíduos e negócios, como é o caso do IaaS (Infrastructure as a Service), do CaaS (Container as a Service), e do DaaS (Device as a Service).

Entretanto, por se tratarem dos modelos mais populares entre os negócios, neste artigo falaremos sobre o conceito, os benefícios e por que o SaaS e o PaaS ajudam as empresas a crescer. Confira!

O que é SaaS?

Para que você entenda melhor o conceito de SaaS, é importante que saiba no que consiste a metodologia as a Service. Na prática, trata-se da terceirização de serviços ligados à computação pelas organizações, seja administração de servidores, licenças de aplicações em nuvem, aluguel de equipamentos, entre outros.

Nesse contexto, uma das categorias mais comuns é o SaaS, que tem como base os softwares ofertados como serviços. O modelo é usado por praticamente todos os usuários da internet, sobretudo os que acessam sites como Google Drive, Office 365, OneDrive, bem como redes sociais como Facebook e Spotify. Seu principal diferencial é que qualquer indivíduo tem acesso aos softwares sem a necessidade de adquirir licença.

Quando se trata dos negócios, muitos utilizam o SaaS para armazenar e rodar seus ERPs e CRMs, possibilitando às equipes o acesso aos sistemas de qualquer local ou dispositivo conectado à internet, o que traz flexibilidade e mobilidade.

Na maioria dos casos, os softwares são acessados diretamente pelo browser de cada dispositivo, sendo que normalmente as organizações já têm uma infraestrutura e uma aplicação terceirizada.

O modelo foi se tornando cada vez mais popular à medida que a transformação digital acontecia, já que, além de menores custos, há a questão da segurança em relação à perda de dados e extravios, bem como escalabilidade em função da terceirização de serviços sob demanda.

O que é PaaS?

O PaaS é um modelo de nuvem que disponibiliza um ambiente exclusivo para o desenvolvimento de projetos virtuais. Assim como os outros formatos, é possível utilizar a solução conforme a necessidade.

Nesse caso, o objetivo é o desenvolvimento de aplicativos e sistemas em um servidor cloud com total segurança. Um exemplo de serviço é o do Google App Engine, ferramenta do Google que disponibiliza plataformas para a construção e gerenciamento de apps na nuvem.

Entre as características do PaaS, estão flexibilidade, escalabilidade, virtualização, recursos completos para criação de aplicações, preços justos e acesso simultâneo por vários usuários autorizados.

É recomendado para organizações que precisam otimizar a criação de aplicações web, pois é possível utilizar uma plataforma exclusiva sem realizar a compra de licenças de alto custo.

Quais são os benefícios do SaaS e PaaS?

Os softwares corporativos tradicionais são instalados em computadores individuais e requerem administradores que os instalem e atualizem. Assim, podem limitar as empresas em relação à integração e colaboração entre setores.

Na prática, processos que ganham em inteligência, agilidade e produtividade tornam-se pouco eficientes e complexos, prejudicando uma empresa de diferentes formas.

É justamente aí que entra a computação em nuvem, os modelos SaaS, PaaS e outros. Agora que você já sabe do que se tratam, confira os principais benefícios de adotá-los.

Redução de custos

A partir do investimento em modelos de nuvem, as organizações reduzem custos com TI. Isso porque não é necessário adquirir equipamentos nem sistemas, bem como contratar soluções de segurança ou colaboradores para atualizações.

Em vez disso, a empresa se envolve com plataformas por assinatura e pagamentos mensais, as quais são acessadas por meio de um navegador web ou portal de desktop personalizado. Os fornecedores permitem que os clientes utilizem as soluções sem comprar licenças ou ficarem limitados a uma única versão.

Praticidade

Os modelos SaaS e PaaS têm como diferencial a praticidade, já que todos os envolvidos podem acessar os sistemas e plataformas de qualquer lugar. Quando relacionado ao ambiente corporativo, otimizam o trabalho e a gestão de processos, trazendo a agilidade e a mobilidade necessárias para empresas que pretendem se consolidar em um novo cenário de negócios.

Customização

Outra vantagem dos formatos é a possibilidade de comprar pacotes adicionais ou customizar os serviços conforme os propósitos, os objetivos e o orçamento do negócio. Isso pode ser feito a qualquer momento, o que traz mais rapidez na resolução de demandas.

Atualizações automáticas

Os sistemas corporativos precisam de atualizações constantes para que tenham alta performance, novos recursos, segurança e outros pontos importantes. Com o modelo SaaS, tanto a atualização quanto a manutenção dos softwares são feitas de forma automática pelo fornecedor, reduzindo despesas técnicas e agilizando os processos.

Integração

Um dos fatores mais importantes para empresas que querem escalar é criar estratégias de integração entre os sistemas e as aplicações utilizados internamente.

Com o acesso a Interfaces de Programação de Aplicativo (APIs), é possível complementar softwares com outras funcionalidades, bem como fazer uma gestão contínua dos requisitos necessários para atender às demandas.

Pagamento conforme o uso

Um dos principais benefícios de investir nos modelos SaaS e PaaS é o pagamento conforme o uso. Ou seja, a empresa não precisa investir em infraestrutura física ou mensalidades de sistemas e plataformas não utilizados.

Assim, além da eficiência nos processos e aumento da agilidade e produtividade, os negócios crescem de forma sustentável conforme a etapa em que se encontram. Desse modo, agregam novas soluções sempre que necessário e permanecem em um ciclo de bons resultados.

Como SaaS e PaaS tornam os negócios escaláveis?

Para quem tem dúvidas, um negócio escalável é aquele que multiplica o faturamento sem precisar elevar os custos na mesma medida. Isso ocorre ao reproduzir o produto em larga escala com despesas baixas, gerando um aumento de receita inversamente proporcional.

Nesse contexto, o SaaS e o PaaS são elementos muito importantes, pois permitem às organizações fazer upgrades e downgrades nos pacotes contratados conforme as demandas do momento. Isso torna essa solução inteligente, rentável e repleta de novas chances de crescimento.

É importante frisar que, mesmo nos modelos de nuvem, é imprescindível que haja uma gestão de TI eficiente, o que envolve o desenvolvimento de um bom planejamento, conhecimento aprofundado das necessidades da organização e contratação de fornecedores adequados a cada uma delas.

Além disso, apesar das diferenças, todos os formatos se complementam e é possível utilizá-los conforme a demanda para automatizar e otimizar a operação, o que já vem sendo feito por negócios em âmbito global.

Gostou do conteúdo? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Então, acompanhe o blog da Imaginedone!

Achou esse artigo útil? Então compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Cadastre-se gratuitamente para receber nosso conteúdo