O que é Zero-Party Data e qual é sua importância para o fim dos cookies?

Você costuma aceitar cookies? Os cookies (arquivos que armazenam dados dos internautas) são muito utilizados por empresas que querem entender o comportamento dos clientes online e oferecer uma experiência mais personalizada.

O problema é que muitos usuários, preocupados com a sua privacidade, não querem mais permitir que as empresas vejam ou capturem os seus dados dessa forma. Nesse contexto, a Zero-Party Data (ZPD) surge como uma tecnologia que promete melhorias para consumidores e empresas.

Acompanhe para entender o que é a Zero-Party Data e como ela vai acabar com os cookies!

O que é Zero-Party Data?

Existem diferentes abordagens que podem ser aproveitadas para recolher dados dos consumidores e a Zero-Party Data é uma delas.

Nessa modalidade, os dados são oferecidos diretamente pelos clientes, que são protagonistas do processo e podem dizer exatamente o que desejam da marca.

Além de ser algo muito benéfico para os negócios, os consumidores ficam mais tranquilos em saber exatamente quais informações estão sendo recolhidas e para que elas vão ser utilizadas — o que nem sempre acontece com outros tipos de abordagem.

Para você ter uma ideia da relevância disso, segundo uma pesquisa da Cheetah Digital, realizada em 2020, mostrou que 41% dos americanos desativam os cookies regularmente e 30% já instalaram um adblocker.

Quando adotam a Zero-Party Data, as empresas passam a realizar pesquisas, questionários nas redes sociais, sorteios, testes, entre outros tipos de mídias interativas para realizar a coleta de insights para as suas estratégias de marketing.

Para garantir a sua eficiência, o processo precisa ser muito bem planejado tecnologicamente. Os clientes devem conseguir atualizar e excluir as informações, elas precisam estar bem protegidas e a organização precisa ter um backup dos dados.

Por isso, o ideal é ter uma plataforma específica para gerenciamento dos dados dos clientes para armazenar e organizar o que for recolhido pela Zero-Party Data. A tecnologia também é importante para que os clientes alterem em tempo real as suas preferências e possam receber um atendimento mais personalizado.

Qual é a importância da Zero-Party Data para as empresas?

Conhecer o comportamento e as preferências dos usuários é cada vez mais importante para as empresas. Com essas informações, a equipe de marketing e vendas conseguem personalizar campanhas de forma eficiente para atrair e converter os consumidores.

Graças à tecnologia, coletar essas informações está cada vez mais fácil. No entanto, nos últimos anos, as empresas estão enfrentando dificuldades por conta da desconfiança dos usuários e da rigidez das leis de proteção aos dados.

Por isso, a Zero-Party Data está ganhando cada vez mais destaque e já está sendo aproveitada por grandes empresas, como a BDC (Business Development Bank of Canada) — que inseriu uma pesquisa na página inicial e muda a versão do site quando os clientes respondem qual é o objetivo de negócio deles.

Dessa forma, a empresa pode melhorar a experiência do usuário e isso certamente vai impactar os seus resultados. Essa tecnologia também é utilizada em lojas de roupas, que podem solicitar que o cliente informe o seu estilo para mostrar os produtos mais indicados, por exemplo.

As possibilidades são infinitas. Até mesmo o famoso jornal americano The New York Times adotou a tecnologia para melhorar a experiência dos leitores e de quebra entender quais são as notícias que estão despertando mais o interesse das pessoas.

O usuário pode entrar na página e selecionar quais boletins deseja receber por e-mail. Ou seja: o leitor só vai receber as notícias que selecionou e isso vai fazer com que ele fique mais satisfeito com o jornal.

A Zero-Party Data é uma inovação tecnológica que promete revolucionar o mercado e modificar a forma como os negócios capturam e aproveitam as informações dos consumidores.

Ambos os lados saem ganhando: os clientes recebem um atendimento personalizado e possuem mais controle sobre os seus dados, e as empresas conseguem aproveitar as informações de modo eficiente para construir suas estratégias de venda.

Como a Zero-Party Data irá acabar com os cookies?

O cookie é capaz de identificar um usuário e monitorar ações que são relevantes para que as empresas entendam seu comportamento, mas isso é feito em segundo plano e o consumidor muitas vezes não entende o que está acontecendo com suas informações.

Com a ZPD essa coleta e análise de dados é muito mais eficiente, afinal, são os próprios clientes que vão compartilhar e atualizar as informações com a organização.

Portanto, dar adeus aos cookies não é algo triste, muito pelo contrário. Isso significa que estamos no início de uma nova era de mercado — onde a personalização é a chave e vem acompanhada da transparência no recolhimento e gestão de dados.

Vale lembrar que, assim como os cookies e todas as outras formas de coleta de dados, a Zero-Party Data precisa respeitar as determinações da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). O usuário precisa saber exatamente quais dados estão sendo recolhidos, o objetivo da coleta e pode decidir alterar ou excluir as informações a qualquer momento.

Além disso, as empresas precisam estar atentas para a segurança da informação. Seja qual for o método, manusear os dados de outras pessoas é uma grande responsabilidade.

Não faltam motivos para dar adeus ou pelo menos reduzir drasticamente o uso de cookies. Muito mais do que uma questão técnica, a adoção da Zero-Party Data é uma forma de demonstrar respeito e eficiência para os consumidores.

Para saber mais sobre novidades no setor de tecnologia e CRM, acesse nosso blog!

Achou esse artigo útil? Então compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Cadastre-se gratuitamente para receber nosso conteúdo